A Cidade

Atalaia é um município brasileiro localizado no estado de Alagoas. Pertencente à Mesorregião do Leste Alagoano e à Microrregião da Mata Alagoana, localiza-se a noroeste da capital do estado, distando desta cerca de 48 quilômetros. Sua população foi estimada em 2015 pelo IBGE em 47.298 habitantes, sendo assim um dos mais populosos do estado de Alagoas e o primeiro de sua microrregião. Está a 1 466 quilômetros de Brasília, a capital federal. Sua área é de 534,2 km², sendo que 1,7041 km² estão em perímetro urbano.

De economia predominantemente agrícola (cana-de-açúcar), localiza-se a uma latitude 09º30'07" sul e a uma longitude 36º01'22" oeste, estando a uma altitude de 54 metros.

 

Localização

A cidade fica a 48 km da capital do estado, Maceió. Tradicional cidade alagoana, Atalaia tem sua história marcada não somente pelo episódio da destruição do Quilombo dos Palmares, mas também pelo fato de, em suas terras, ter surgido a primeira usina de açúcar de Alagoas, uma das maiores do Brasil, em sua época: A Usina Brasileiro.

 

Origem do nome

Há duas hipóteses para a origem do nome "Atalaia". A primeira afirma que o nome se deve ao fato de que as tropas comandadas por Domingos Jorge Velho, contratado para destruir o Quilombo dos Palmares ficavam de "atalaia" (vigilância). Porém, essa hipótese não é bastante aceita pelos historiadores, pois o nome do município foi dado por D. José I somente em 1764, em homenagem, provavelmente ao Visconde de Atalaia, fidalgo português muito amigo de D. José I. Esta é a hipótese mais aceita. Contribui para isso o fato de que Atalaia começou a ser povoada por volta de 1692, tendo tido como primeiro nome Arraial dos Palmares. Portanto, até o ano de 1764, não há menção nos registros históricos do nome Atalaia.

 

História

A ocupação das terras onde hoje situa-se o município iniciou-se por volta de 1692 por Domingos Jorge Velho, bandeirante paulista contratado pelo então Governador da Província de Pernambuco Fernão de Souza Carrilho para destruir o Quilombo dos Palmares. Domingos Jorge Velho havia recebido do governo português a promessa de uma sesmaria (seis léguas de terra), como recompensa pela destruição do Quilombo dos Palmares. Com a destruição de Palmares, e a consequente morte de Zumbi dos Palmares, em 20 de novembro de 1695 o bandeirante esperou o cumprimento da promessa, e se estabeleceu no atual bairro da Cidade Alta, de onde ficava de vigilância (atalaia), durante a luta contra os negros palmarinos. O bandeirante batizou a nova povoação de Arraial dos Palmares.

Lá, por volta de 1697, Domingos Jorge Velho mandou construir a Capela de Nossa Senhora das Brotas - a primeira edificação de Atalaia - santa que considerava como sua protetora. Esta é ainda hoje a padroeira de Atalaia. Para tentar agradar à Coroa Portuguesa, Domingos Jorge Velho lhe envia carta comunicando o desejo de que a povoação iniciada por ele passasse a se chamar Vila Real de Bragança, para que a mesma ficasse sob a proteção da Casa de Bragança, para que mais rápido se desenvolvesse. Porém, o pedido foi negado por D. José I. No final de 1700, Domingos Jorge Velho morre sem, no entanto, receber da Coroa Portuguesa o decreto de doação da sesmaria. Apesar do crescimento da povoação, o Arraial dos Palmares não era reconhecido pelas autoridades. Somente em 12 de março de 1701, o Governador da Província de Pernambuco recebe Carta Régia determinando a criação oficial do arraial, porém com o nome de Arraial de Nossa Senhora das Brotas. No entanto, este nome não caiu no gosto dos habitantes, permanecendo os habitantes utilizando a denominação Arraial dos Palmares. Somente em 1716, os filhos e a esposa de Domingos Jorge Velho recebem o decreto que doa a sesmaria onde hoje localiza-se Atalaia, como recompensa pela destruição dos Palmares.

Durante o governo do 10.° Ouvidor da Província de Alagoas, Manuel Álvares, os habitantes do Arraial dos Palmares, por seu intermédio, solicitaram ao governo português a elevação do arraial à categoria de vila. D. José I atendeu em parte às reivindicações da população, elevando o Arraial dos Palmares à categoria de vila, porém, com o nome de Vila de Atalaia, em homenagem ao Conde de Atalaia, seu amigo particular. Este decreto data de 1 de fevereiro de 1764, considerada a data de sua fundação. Foi a quarta vila criada em Alagoas, depois de Porto Calvo, Marechal Deodoro (antiga Alagoas) e Penedo.

Em 5 de março de 1891 Atalaia é elevada à categoria de cidade, pelo governador Manuel de Araújo Góes.

 

Acervo histórico

Atalaia, por ter sido um dos primeiros núcleos populacionais de Alagoas, possui importante acervo histórico, como a Capela de São José (antiga Capela de Nossa Senhora das Brotas), primeira edificação construída em Atalaia por Domingos Jorge Velho em 1697, a imponente Igreja Matriz de Nossa Senhora das Brotas, construída por Domingos Jorge Velho em 1701 com suas imagens antigas e seu altar-mor belíssimo, a Casa Grande da Fazenda Jardim das Lajes, a Praça do Bi-Centenário, as ruínas da Usina Brasileiro - primeira usina de Alagoas -, da Usina Ouricuri, Vitória do Cacaú, e o casario histórico da Avenida Barão José Miguel, no centro da cidade, e na Rua de Cima, no bairro da Cidade Alta.

 


Brasão

Bandeira

Aniversário: 1 de fevereiro

Fundação: 1 de fevereiro de 1764 (254 anos)

Gentílico: atalaiense

Prefeito(a): Francisco Luiz de Albuquerque (Chico Vigário) (PMDB) (2017 – 2020)

 

Localização

Localização de Atalaia em Alagoas

Localização de Atalaia no Brasil

09° 30' 07" S 36° 01' 22" O

Unidade federativa: Alagoas

Mesorregião: Leste Alagoano IBGE/2008

Microrregião: Mata Alagoana IBGE/2008

Municípios limítrofes: Pilar, Rio Largo, Murici, Capela, Boca da Mata, Pindoba e Maribondo

Distância até a capital: 48 km

 

Características geográficas:

Área: 531,983 km² 

População: 47 298 hab. IBGE/2015

Densidade: 88,91 hab./km²

Clima: Tropical quente e úmido

Fuso horário: UTC−3

 

Indicadores:

IDH-M: 0,594 baixo PNUD/2000

PIB: R$ 202 285,031 mil IBGE/2008

PIB per capita: R$ 3 897,37 IBGE/2008

 

Hino do município de Atalaia

Letra: Celina Sampaio Ramos

Melodia:Artur Martins da Silva    

    

Ó cidade feliz e orgulhosa

De Alagoas és lendária

tens o rio Paraíba como adorno

és histórica e bicentenária

 

Agraciada por campos floridos

Canaviais e verdejantes grotas

Altaneira viste erguer-se a igreja

De Nossa Senhora das Brotas

 

Estribilho:

 

Salve Atalaia, e seu povo varonil.

Atalaia, és também

Pedaço do nosso Brasil (Bis)

 

Tiveste o nome de Arraial dos Palmares

Vila Real Bragança

Sentinela que acompanha o progresso

Vigilante,com fé e esperança

 

Nesta homenagem que te prestamos

Desejamos aos filhos teus

Paz,alegria e prosperidade

Sob as bênçãos de Deus.

 

Estribilho.

 

Paz,alegria e prosperidade

Sob as bênçãos de Deus.

 

Estribilho.

 


Fonte: Wikipedia.org

Atendimento:

Endereço: 
Rua Fernando Gondim, 114, Centro 
Atalaia, Alagoas - CEP 57690-000
E-Mail: contato@atalaia.al.gov.br
Telefone: (82) 3264-2054

Horário de atendimento:
Segunda à Sexta-Feira das 7h às 13h

Please publish modules in offcanvas position.